Que jornalismo é esse?

Não sei sobre os demais casos relatados, mas no que se refere ao município paraense de Tailândia, o programa “Conexão Repórter”, comandado pelo experiente Roberto Cabrini, trouxe uma série de falhas e inverdades. Foi o que acabou de me dizer, aqui em Belém, o prefeito de Tailândia, Gilberto Sufredini.  Ele me garantiu  que a reportagem exibida ontem pelo SBT trouxe lamentáveis mentiras sobre a adoção de crianças no município. Sufredini assegura que todos os processos de adoção no município são legais, acompanhados pelo Conselho Tutelar e pelo Ministério Público. O prefeito, inclusive, afirma que o município está à disposição de qualquer cidadão para mostrar todas as provas sobre essas afirmações.

Entre as inverdades que teriam sido exibidas no programa de Cabrini está o fato de haver se mostrado na reportagem uma pessoa (Maria) que nem mora no município de Tailândia e cuja história foi contada na reportagem sem dar claramente a informação de que se tratava de outro município. Por outro lado, a reportagem já havia conversado com um promotor de Tailândia sobre a suposta aliciadora (uma técnica em enfermagem chamada Nina) e omitiu o fato gravíssimo que essa pessoa já havia sido anteriormente investigada, tendo inclusive seu sigilo bancário quebrado e nada ficou comprovado. E isso foi feito quando o Ministério Público suspeitou do fato de três adoções em Tailândia terem sido feitas por casais do Rio de Janeiro.

De qualquer forma, o prefeito me garantiu que abriu processo administrativo, afastou a servidora Nina e registrou um boletim de ocorrência – a fim de que não pairem dúvidas sobre a seriedade com que esse processo será conduzido. E isso menos de doze horas após a exibição do Conexão Repórter.

Certamente não estou afirmando que o problema não existe. Acredito igualmente que deve haver de fato muita gente ganhando dinheiro em todo o Brasil prevalecendo-se do tráfico de crianças. O problema é grave, relevante, merece investigação, denúncia  e punição. Mas também acho inadmissível, numa reportagem séria, acrescentar elementos inverídicos ou que possam conduzir a deduções equivocadas por parte do telespectador. Desnecessário e capaz de fazer duvidar do conteúdo restante.

Acrescento, ainda, um ponto que considerei infeliz na reportagem. Veja como o repórter Roberto Cabrini define o Pará (exatamente aos 5´39): “Estamos no interior do Pará. É um Brasil onde conflitos são constantemente resolvidos a bala, onde o homem não aprendeu a ganhar a vida sem assassinar a natureza, onde a lei do mais forte costuma suplantar a lei dos tribunais”.

Mas a grande questão a se fazer agora é: Cabrini vai se retratar dos pontos em que a apuração da reportagem falhou? Ou vai ficar por isso mesmo?

Anúncios

Tags: , , ,

36 Respostas to “Que jornalismo é esse?”

  1. ROBERTO MUNHOZ Says:

    Caro, Nilson

    Sou o editor-chefe adjuntos do Conexão Repórter. Diferentemente do que escreve no teu blog, não existe nenhuma inverdade na reportagem exibida ontem. Acho que você não assistiu ao programa. A imagem da Nena (e não Nina) mostra ela oferecendo crianças à nossa produtora, mostra como funciona esse esquema e deixa claro que esse grupo age sim em Tailândia. Acho que também não viu que o programa tinha documentos do Ministério Público que comprovam toda a denúncia. Não viu que o GAECO grupo do MP responsável por crimes como estes, investiga tudo desde o início e ,inclusive, já pediu a prisão dos responsáveis. Existem provas inequívocas de que o esquema de adoção ilegal acontece impunemente em Tailândia. A reportagem só não mostrou a entrega da criança porque fomos orientados pelo MP a deixar a cidade pois estávamos sendo ameaçados de morte.A polícia chegou a invadir o hotel onde estávamos para “grampear” as gravações que´já havíamos feito. Quanto a frase do interior do Pará, eu me considero paraense já que morei um ano neste estado que considero o mais bonito do Brasil. Mas todos sabemos o que acontece nessas pequenas cidades onde o poder público esquece de seus moradores. A reportagem não quer e não vai denegrir a imagem do povo, da cidade. Quer apenas mostrar que existem bandidos (como em todas as cidades) que merecem ir para a cadeia e que se aproveitam da pobreza para dizimar nossa população. Desafio você a encontrar falhas na reportagem, mas antes assista. Abraço

  2. nilsonpinto Says:

    Caro Roberto, assisti à reportagem, sim. Como é possível perceber no link que coloquei para a primeira delas no You Tube. O caso do nome da moça foi exatamente como entendi ao ouvir a matéria, já que o nome foi citado rapidamente. Todas as minhas afirmações foram baseadas no que assisti e nas informações que o prefeito me disse, inclusive que o Ministério Público acompanha todos os casos e as adoções feitas em Tailândia são legais. Como eu disse no post, não duvido da veracidade de denúncias desse tipo de crime a acredito que devem ser denunciados, mas que há falhas de apuração, isso há, já que a Sra. Maria é apresentada sem muitas explicações, como se fosse de Tailândia e a localização da casa aponta para outro lugar (qual?). Também não duvido que a equipe tenha recebido ameaças e lamento muito por isso. Entretanto, também mantenho que classificar o Pará da forma como foi feito é forçar demais. Apesar dos nossos problemas, não precisamos que em uma reportagem que já aborda tremendo crime – que é venda de crianças – o repórter classifique o Pará da forma como Cabrini o fez. Não se pode generalizar e classificar todo o interior do Estado como um cenário infernal.

  3. ROBERTO MUNHOZ Says:

    Deputado, respeito teu ponto de vista. Mas já que o senhor é deputado lanço outro desafio. Que tal em vez de discutirmos a marcação geográfica de onde mora a denunciada, investigue. Acredito que munido do título de Deputado com tanto livre acesso deve ser mais fácil para o Sr. Parlamentar. Ah, o senhor se baseia na informação passada pelo prefeito? Que bom! Ele deve estar muito interessado em resolver esses problemas, basta ver a situação em que vivem os moradores do município. Lamento que o senhor esteja generalizando o interior do Pará por conta própria, já que a matéria não o fez. Quer que cite fatos que aconteceram em Tailândia e que provem a violência institucionalizada pela falta de emprego, moradia, segurança?Em alguns municipios paraenses a situação é desesperadora. E o sr. tem o voto do povo para resolver tudo isso. Não vi a ficha parlamentar do sr. mas espero que esteja condizendo com seus argumentos.

    • nilsonpinto Says:

      Caro Roberto, também respeito seu ponto de vista e você não precisa me lançar desafios. Meu desafio diário é trabalhar pela população de meu Estado. Certamente o município de Tailândia tem diversos problemas e eu estou muito empenhado em ajudar a cidade a superar o oceano de dificuldades (aqui no blog e no twitter há diversas iniciativas em prol daquele município que tenta superar seus numerosos problemas). Tenho notado no tom de suas respostas uma certa irritação, que não me parece condizer com o debate saudável e sereno de ideias. Espero que seja apenas uma impressão, uma vez que acredito no saudável debate de ideias e no respeito aos que pensam diferente. Aqui no blog expressei minha opinião e permito que você expresse a sua sem qualquer censura.
      Quanto à generalização, pemita-me dizer que as palavras falam por si – basta lê-las com atenção.
      Quanto à minha ficha parlamentar, acredite: ela condiz com meus argumentos. Sou professor universitário, ex-reitor e toda a minha vida – particular e pública – é pautada pela ética. Para conferir, eis aqui meus dados: minha ficha está à sua disposição neste link: http://www2.camara.gov.br/internet/deputados/chamadaExterna.html?link=http://www.camara.gov.br/internet/deputado/dep_detalhe.asp?id=521683

      • Daniela Frossard Says:

        Sr.Roberto tailândia é terra de superação de gente humilde mas que merece respeito. Assim como eu muitos gostariam de alguns minutinhos na midia para mostrar a outra face da nossa cidade a face da superação. Se o Sr. se aprofundace um pouco mais na historia da nossa cidade entenderia assim oque eu quero dizer mas como não deve ser do interesse ou o foco do programa jamais ira entender, afinal oque parece interessar e vir bombardear e tentar arrazar a cidade, o respeito, a dignidade e as nossas esperanças de um futuro melhor como outras vezes já tentaram fazer, só que mais uma vez estamos aqui firmes e fortes. Voltem aqui agora,procurem saber a opinião dos moradores sobre oque eles infelizmente assistiram no programa exibido…Lamentavel a tristesa e a decepção de uma população que foi desrespeitada que teve a sua imagem denegrida da forma como a reportagem se referio a ela mas isso não deve ter muita importância para os Srs.,e sim somente as cenas deprimentes com fundo emotivo e a narração apelativa e ofenciva do reporter e até mostrando algumas imagens que ficam fora do nosso municipio. Aqui Sr.Roberto residem pessoas de varias classes sociais, o povo é sofrido mas unido por um mesmo objetivo um futuro melhor temos dignidade e merecemos respeito.
        Cheguei em Tailândia ainda criança e já se passaram mais de 25 anos conheço a história da nossa ciadade mas nunca imaginei passar por um constrangimento…desrespeito como este em rede nacional!! Sempre tive e tenho orgulho da nossa cidade. Respeito o jornalismo serio e verdadeiro se for o seu caso e de sua equipe por favor procurem ,escolher melhor as palavras no que se refere a vida da população de uma cidade(no caso, a nossa) ou de uma região.Tailândia tem muita coisa boa para se mostrar e falar.
        Como já disse e repito:TAILÂNDIA É TERRA DE SUPERAÇÃO DE GENTE HUMILDE MAS DIGNA DE RESPEITO.CONTINUAMOS AQUI FIRMES E FORTES.TAILÂDIA PODE NÃO SER O SEU LUGAR SR. ROBERTO MAS É O MEU E DE MAIS DE 100.000 HABITANTES
        PS: Dr. Nilsom muito obrigado por estar ao nosso lado nas alegrias e também em situações tão infelizes como esta.
        O senhor sempre foi digno do nosso respeito.
        Abraços.

  4. ROBERTO MUNHOZ Says:

    PS- a luz acabou ontem na cidade onde seu amigo é prefeito? Essa crise energética é complicada, né?

    • nilsonpinto Says:

      Não entendi a pergunta. Afinal, pelo que eu soube, a cidade inteira assistiu à reportagem. Gostaria muito de pedir-lhe que nos mantivéssemos em padrões amigáveis, dada a gravidade do assunto que tratamos. Tudo bem?

    • CLEUTON Says:

      SE A ENERGIA ACABOU AQUI NA CIDADE DE TAILANDIA ENTÃO ME RESPONDA SR. ROBERTO MUNHOZ COMO É QUE ASSISTIMOS A REPORTAGEM?? QUE EU RECORDE AQUI NA CIDADE NÃO FALTOU ENERGIA NEM UM SEGUNDO VC JÁ ESTÁ APELANDO…

    • Alexandre Says:

      Estou estarrecido com o que leio. Este é o nível intelectual e moral dos jornalistas que denunciam essas barbaridades? Se são capazes de dizer tais coisas e fazer acusações gratuitas, o que terão feito na reportagem? A partir de hoje duvido de qualquer coisa que venha desse programa, aliás bem apelativo pelo que assisti. Quanto ao Sr, Deputado, que bom que teve coragem de enfrentar essa gente que não mede esforços pelo sensacionalismo.

  5. ROBERTO MUNHOZ Says:

    PS 2- Não estou irritado. Aprecio o debate democrático. Mas é preciso separar as coisas: papel de jornalista não é o de polícia. A classe política tem como obrigação também a luta pela justiça e a apuração dos fatos denunciados. O que denunciamos é fato, Deputado. Temos todos os documentos comprovatórios e podemos disponibilizá-los. Vou acompanhar com o SR. os trabalhos de apuração. Nossa parte foi feita, vou esperar que o Sr tb se comprometa por essa luta. Um abraço

    • Daniela Frossard Says:

      PS: Espero Sr. Roberto que realmente os fatos sejam apurados e os criminosos julgados e punidos. Ao contrario do que a reportagem
      deu a entender nós estamos do lado da justiça e procuramos respeitar as leis impostas por ela.

  6. nilsonpinto Says:

    Sem dúvida Roberto: papel de jornalista não é o de polícia, mas de denunciar com seriedade as graves mazelas que existem em nosso País. Aceito com muita gratidão seu oferecimento de disponibilizar os documentos. Será importantíssimo até para ajudá-los a denunciar e punir tais crimes tão hediondos. E acredite: nunca fui e nem jamais serei defensor de quem explora a infância pobre em nosso País. Certamente que a população do Pará – particularmente os desamparados, as crianças e os mais pobres – tem em mim um defensor de seus direitos. Foi exatamente para isso que eu me elegi e até hoje, ao longo de três mandatos, esse tem sido meu objetivo. Um abraço par você, também.

    P.S. Fico bastante satisfeito que você não esteja irritado. Sob inspiração das emoções por vezes as pessoas se excedem e o debate apenas perde. E nós – eu e você – estamos exatamente do mesmo lado: em busca da verdade, da construção de um país mais digno e do combate a toda sorte de mazelas que possam ofender nossa gente e seus direitos mais básicos.

  7. ROBERTO MUNHOZ Says:

    Como disse ao senhor, o período em que vivi no Pará me abriu os olhos para muita coisa. O isolamento geográfico dificulta a assistência à população e os mais carentes ficam expostos à situações como a mostrada ontem. A Maria que aparece na reportagem não é de Tailândia e a reportagem mostra isso. Tem um trecho que diz “no caminho de Tailândia para Belém, na beira da estrada, encontramos Maria”… É uma pena que a principal articuladora desse esquema tenha conseguido uma liminar para que sua identidade fosse preservada. Abraço

  8. Altimá Alves Says:

    Deputado Nilson Pinto e lamentável a falta de Infromação dessas pessoas que nao conhecem o Municipio de Tailandia, muito menos, a sua historia recente:
    – Mas vamos aos fatos:
    – sugiro ao reporter que leia a sua ficha e sua historia, talvez ela nao saiba ou não queira saber da sua grande contribuição ao desenvolvimento recente desse Estado com o Reitor respsavel pela interiorização do Ensino Superior no Pará, como Secretário de Governo que implantou o ensino médio em todas as sedes de municpios do Pará.
    – segundo, o Povo trabalhador e Honesto de Talandia, está cansado de ver esse pesoal vir la do Sul fazer difamçoes contra a nossa cidde e nossa Gente, é mentirosa a afirmação de que houve ameaçãs de morte contra qualquer pessoa em Tailandia, o que houve é o Reporter foi muit bem recebido na cidade e a população não comentava outra coisa que não fosse a pesença dele na cidade, achando claro que finalmente alguem fosse mostrar algo de bom do nosso Municipio(pena!).
    – Segundo é importante sim dizer que aquela Senhora nao mora em Tailandia, e que o a reportage denigre sim a imagem do nosso municipio e seu povo.
    – terceiro, diga a ele que o Sehor não e amigo do nosso Prefeito e sim do nosso povo, que o senhor tem enormes serviços prestados a nossa população, e como ele bem observa o Senhor tem mandato voto pra nos Defender desse tipo de situação e faz muito bem.
    – quarto, por que nao mostram os resultados da famigerada “Operação Arco de Fogo”, que so trouxe desemprego, problemas sociais e até agora quem deveria agir pra criar alterntivas de emprego e atividades produtivas sustentáveis nada fez.

    – quinto, por que não se diz que que Tailândia tem o grande programa de reflorestamento, com 10 milhões de arvores plantadas, que so esse ano distribuiu 400 mil mudas para pequenos produtores, que tem a unica brquetadeira publica do pais, que transforma lixo ambiental (pó de serra) em energia e riqueza, que tem um usina de leite que benefia mais de 200 pequenos produtores rurais e distribui diarimante 4000 litros de leite para o combate a disnutrição infantil para familias carentes, será que isso nao e mostrado por algum motivo comercial? espero sinceramente que o respeitado reporter volte ao nosso Municipio para ver como o noss povo sozinho fez para soberviver a miopia de quem deveria nos ver como irmãos que constroem esse País assim como os nosso irmãos do Sul e Sudeste.
    siga nos defedendo e defendendo nosso Sonhos e Nossa Gente!
    Tailandia Agradece!

  9. Luciana Says:

    Deputado, entendi as suas argumentações e seu ponto de vista. Gostei muito mesmo. Vou acrecentar uma coisa, eu acho que a reportagem ganharia mais sem aqueles recursos para provocar drama. Parabéns deputado. Tenho orgulho do senhor.

  10. sinária lavareda Says:

    Ao assistir a reportagem ontem,no programa “conexão repórter”,fiquei desapontada com a imagem que repassaram ,de que o Pará é sinônimo de conflitos,que tudo é resolvido a base de balas.
    Eu cidadã Tailândense,nascida e criada em Tailândia,onde a população é hospitaleira e honesta,fico triste ao ver pessoas ditas intelectuais com esse tipo de pensamento arcaico, que não acompanham o crescimento do Pará e de seus municípios.
    Não estou aqui para defender ninguém,estou aqui pra defender o meu Pará,a minha cidade (Tailândia).e volto a dizer que o reporte CABRINI falhou,foi totalmente infeliz ao se referir do Pará como “terra de conflitos

  11. Altimá Alves Says:

    esqueci uma coisa.. comunique ao senhor editor aqui nao é Terra de ninguem… e apesar do que você ta dizendo nao houve interpção de fornecimento de energia na cidade e toda a população do municpío assistiu aquela matéria que nao diz a verdade .. tem que esclarecer que o local onde aquela senhora mora se fosse Tailandia seriamos um dos maiores municipios do Brasil, são quase 200 Km de Tailandia ate one fica aquela casinha na beira da estrada… melhor tentar arrumar outras fontes mais confiáveis que pelo menos conheçam o Estado do Pará e nao faltem com a verdade em tentar reduzir a audiencia do programa com falsas faltas de Luz como diz o Editor.

  12. Nazaré Imbiriba Says:

    Caro Deputado Nilson: tive a honra de trabalhar com o senhor quando Reitor , e eu, como professora, coordenando a área internacional, e conheço o que foi a sua fantástica administração na Universidade Federal do Pará. Portanto, nenhuma reportagem pode atingi-lo ou por em jogo o seu compromisso com o povo do Pará.
    Segundo: tenho sido recentemente testemunha do enorme esforço que Tailândia está fazendo de transição para um modelo de desenvolvimento social e ecologicamente sustentável, ás vezes tão pouco reconhecido por quem não imagina os desafios que esse Município enfrentou e enfrenta.
    Por outro lado, não me surpreende a maneira preconceituosa que com que se trata a Amazônia de forma a olvidar que o povo desta Região, esquecida e desconhecida, é realmente puro heroísmo para suportar, inclusive, avaliações generalizantes e negativas sobre nossa região.
    Um exemplo a mais:há alguns dias atrás um jornal local publicou reportagem de um geógrafo da USP, que teve a ousada burrice de declarar: “Será que Roraima e Amapá precisam de universidades? Será que está certo o governo federal fazer esse tipo de investimento? Não é um desperdício? Será que não seria mais vantajoso concentrar os investimentos em educação e universidades nas áreas mais densas da região, como Belém e Manaus?”
    Por essas e por outras é que seguimos sendo a periferia da periferia!!! CHEGA de falar do que não conhecem. Parabéns por sua coragem e defesa de nossa Região!

  13. Delcimar Alves Says:

    Deputado Nilson Pinto o senhor esta de parabéns por defender e esclarecer os reais fatos. Sabemos da sua responsabilidade quanto pessoa publica, buscando sempre parceria e projetos para melhoria das nossas comunidades. Somos o Pará e vamos defende-lo sempre com justiça e responsabilidade.

  14. Alexandre Says:

    Em tempo deputado NIlson, assistimos aqui à sua luta, sozinho, em um assunto espinhoso. Onde estão seus pares que não vieram ajudá-lo? Não são paraenses? Acho que preferem se acomodar longe de problemas com jornalistas arrogantes que se valem de currículos passados para arrotar ameaças e intimidar quem eles consideram inferior. Fosse verdade o que ele afirma na reportagem, não teria saído vivo do Pará nem ele nem a equipe de produtores, não é? Até hoje eu nunca havia votado no senhor, mas diante do que li nesse blog o senhor acaba de ganhar um eleitor. E de Belém.

  15. Paulo Moraes Says:

    Deputado Nilsom realmmente é lamentavel a falta de imformação que essas pessoas tem sobre o municipio, se eles soubesse como o municipio esta crescendo eles não tinhao tempo pra ficar falando besteira…

  16. Reginaldo Silva Says:

    Deputado Nilson Pinto, obrigado por mais uma vez você sair em defesa do nosso município, o povo que aqui vive, gente honesta trabalhadora que apesar das dificuldades lutam pela construção de uma Tailândia sobretudo mais justo e digna para com seus munícipes, como filho dessa terra somos conhecedor das dificuldades que atravessamos, mais também conhecemos os caminhos que buscamos todos os dias para amenizar essas dificuldades. E uma vez e outra aparecem por aqui os Cabrines da vida, aventureiros em busca de historias para auto promoção, até chegam a nos cansar tanta mídia negativa que esses Cabrines pessoas para quem nos hospedeiros que somos abrimos as nossas portas para recebê-los dando boas vindas e contribuindo com tudo que é possível no pensamento de que vieram para nos ajudar, e quando se vão difamam nossa terra nosso Povo com inverdades de que até sofreram ameaças de morte, porque não procuraram a policia? Esse não é o primeiro que faz isso já estiveram por aqui outros Cabrines que fizeram a mesma coisa.
    Os Cabrines não mostram a Tailândia que ressurge das cinzas depois da operação arco de fogo, a Tailândia que é a única cidade do Brasil que transforma resíduos de madeira em energia alternativa, a Tailândia que refloresta e distribui mudas, a Tailândia da agricultura de subsistência, em fim o povo de Tailândia que a cada dia vem lutando para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.
    Eu tenho orgulho de ser do Pará, do Pará que conhecemos e amamos não do Pará que eles criam e pensam que conhecem, e mais do que isso tenho orgulho da minha TAILÂNDIA terra de povo ordeiro e trabalhador.

  17. Camilo Ferreira Says:

    Lamentável ver que a imprensa não mostra as benfeitorias feitas em prol do Municipio.
    Só mostram coisas que agridem a imagem do Estado do Pará e do Municipio de Tailandia.

    “Onde o homem não aprendeu a ganhar a vida sem assassinar a natureza”
    “Onde a lei do mais forte costuma suplantar a lei dos tribunais”
    Isso é sensacionalismo.

  18. Anônimo Says:

    Vou falar aqui a realidade. Eu ja vivi muito tempo ai em Tailândia mas fui embora por falta de oportunidades como estudar em uma boa faculdade e ter um bom emprego! Morei ai uns 12 anos e posso falar que essa cidade nunca foi e nunca irá pra frente. Como eu vi na reportagem que ai as coisas so são resolvidas a bala ( e é a pura verdade ), ja perdi muitos amigos ai através de assaltos, eles assaltam e ainda mata a pessoa a sangue frio, e o policiamento cadê? essa cidade só tem uns 4 carros da PM, a cidade é um caos, não tem esgoto, a cidade é cheia de lama,a cidade fica uma poeira cosmica de fumaças de carvoeiras, não tem lazer nenhum (só o tropical mesmo), só vive bem quem tem dinheiro os pobres que se danem. Agora esses que comentam aqui com certeza deve ter uma internet em casa e uma vida digna pois se não são empresários são vereadores ou os paga pals do prefeito. Pergunta pro prefeito cade o dinheiro que o governo manda? 30% vai pra cidade (talvez) e os outros 70% vai pro bolso dele e os puxa sacos. Em época de eleições o prefeito e os vereadores pagam as pessoas pra votar neles, eu ja vi isso a olho nú. “Quem estão bem de vida ai são os funcionários públicos e empresários”! Agora cade os pobres sem condições que não podem se defender e comentarem aqui sobre a vida digna nesse município? Não vou defender essa cidade de modo algum, a cidade precisa melhorar sim e com certeza as pessoas lá fora precisam ver a realidade. Já vi muita miséria ai, tem mendigos sem o que comer deitados no banco da praça e podem ver que é na frente da prefeitura e o prefeito nunca ajudou (Não estou dizendo que é só o prefeito que deve melhorar a cidade)! Quem vive bem em Tailãndia vai defender a cidade sempre, eu vivi muito bem ai, mas nao sou ipócrita no ponto de dizer que essa cidade nao tem só esses defeitos mostrados, tem muito mais. A escola São Francisco de Assis até hoje está de férias. E os alunos como fica? agora vocês vem dizer que a cidade acabou por causa da operação arco de fogo? Não teria outros meios da cidade se desenvolver sem ter que desmatar as florestas? Acredito que a cidade pode melhorar sim por outros meios, se a prefeitura e o governo ajudar e as pessoas que vivem nela abrir os olhos e verem a realidade! Não vou colocar meu nome aqui, porquê sei que posso estar morto amanhã.

    • CLEUTON Says:

      Nossa que drama ei rapaz (ANONIMO)

      vc falou que já perdeu varios amigos mortos em assalto
      qual a cidade que nunca teve pessoas mortas por assalto??
      vc sitou tambem que a pm só tem 4 carros, só que carro de policia
      Amigo não muda a cidade não.
      eu moro em tailandia a 8 anos e nunca me arrependi nem um momento de está morando aqui, não sou rico como vc falou que “só vive bem quem tem dinheiro ”
      isso e mentira aqui em tailandia se da bem que e digno e trabalha com honestidade.
      Não sou funcionario publico muito menos puxa saco como vc sitou, vc fala tudo isso prq realmente não conheçe nossa cidade, morou 12 anos aqui, mas não chegou a conhece os beneficios que o atual governo trouxe e está trazando para a nossa cidade
      vc coneheçe o laticinio municipal?? que todos os dias faz a distribuição de leite para as pessoas carentes??
      vc conheçe programa de reflorestamento, com 10 milhões de arvores plantadas?
      e emfim outas coisas que não vou citar porque são muitas

      venha novamente a tailandia e se informe melhor da realidade do nosso municipio

  19. Marcilene Sales Says:

    Deputado Nilson Pinto, os cidadãos moradores desta Cidade e deste Estado lamentam a publicação em rede nacional de mais uma inverdade a respeito de nossa Tailãndia.Aqui vivem pessoas comprometidas com a verdade que exigem que esta irresponsabilidade seja retratada com pedido de desculpas aos cidadãos de bem que aqui moram e que não aceitam ser tradados como bandidos.Exigimos que façam também reportagens à respeito dos projetos e ações que Tailândia desenvolve em prol de seu desenvolvimento sustentável.Por tanto Deputado, obrigada pela oportunidade de deixar aqui o meu protesto, pois como educadora acredito na transformação e na valorização para a melhoria desta sociedade tão carente de justiça.

  20. Jakeline Neto Says:

    Eu,como moradora de Tailândia agradeço ao deputado pelo apoio que tem dado a nossa cidade. Mas gostaria de entender porque somos tão perseguidos pela mídia. Não queremos ser usados para dar ibope a uma programa no qual o apresentador ja sentiu na pele a má interpretação da imprensa ja que as acusaçoes de tráfico de drogas são falsas.Diante disso deveria ter mais cuidado com as informações. Gostaria muito que todos olhassem para o Pará e também para Tailândia de uma forma mais carinhosa e consequentemente com mais respeito! É muito triste saber que para Tailândia a imprensa tem sido muito mais vilã do que uma aliada,e tem prejudicado muito mais do que ajudado.Quizera eu que fosse diferente…..

  21. Gualberto neto Says:

    Quero parabenizar o dep.Nilson Pinto pela defesa ao município de tailândia e também manifestar minha opnião sobre o assunto.
    – O estado do Pará que tem dimensões continentais recebe de braços abertos, pessoas de todos os estados da federação, ao receber estas pessoas, recebe contribuições positivas,pessoas bem intencionadas mas também recebe pessoas mal intencionadas como as citadas no episódio que discutimos.
    – O Brasil das boas intenções muito distante do Brasil das boas práticas, a mídea que demosntra boas intenções, distante da mídea das boas práticas, sabemos que toda matéria jornalistica passa pelo crivo de um chefe que decide se vai ou não para o ar, ora concerteza era de interesse de alguém mostrar, o lado negativo de tailãndia e não o lado positivo como os sitados acima pelo Altimar.
    – Faço um outro desafio ao sr. Roberto Munhoz, faça uma outra reportagem falando sobre os bons exemplos que acontecem no município de tailãndia e mostrando as medidas tomadas pelo prefeito gilberto sufredine após a reportagem.
    – Conheço bem o município de tailândia, um dos maiores desafios depois de todas as operações que aconteceram no município, é dar a volta por cima, fazendo gestão na administração municípal como o prefeito vem fazendo e buscando várias alternativas para gerar emprego e renda para a população.
    Esta deve ser a melhor resposta um plano de desenvolvimeto do município para os próximos anos.
    Um abraço e contem comigo para enfrentar estes desafios.
    Gualberto Neto.
    Dep. estadual

  22. Fabiane Carvalho Says:

    Sr. Deputado Nilson Pinto,concordo e agradeço a sua defesa ao nosso municipio, vale ressaltar que realmente existe infelismente no mundo pessoas que vivem em cima de “mentiras, falhas e inverdades” e se dizem intelectuais mais não procuram a verdade completa. Moro no municipio de Tailândia desde de 1998,vejo Municipio Lutar pra melhora a cada dia, os cidadãos moradores desta Cidade e deste Estado lamentam a publicação em rede nacional de mais uma inverdade a respeito de nossa Tailãndia.Aqui vivem pessoas comprometidas com a verdade que exigem que esta irresponsabilidade, seja revista, agredito e faço um desafio a Mostrarem os pontos positivos do Municipio, pois sei e afirmo que existem vários., pois é muito triste saber que para Tailândia a imprensa tem sido muito mais vilã do que uma aliada,e tem prejudicado muito mais do que ajudado.Quizera eu que fosse diferente, colocando A TAILÂNDIA QUE REALMENTE É…Tailândia, hoje é um retrato da intensa luta, a Gestão administradora Trabalha intensamente apoiando à construção de políticas publica em varias frentes
    de trabalho, interligando atores e fortalecendo o capital social das entidades locais, focando desenvolvimento como um fator
    que agregar diferenças e valores locais e vocações produtivas. Desenvolvendo o potencial e a capacidade produtiva de
    empreendimentos locais, potencializando o escoamento de produção agrícola de muitas áreas, visando à economia local, através
    da estruturação e aprimoramento de processos produtivos.
    Triste ver pessoas que não acompanham o crescimento do Pará e de seus municípios.. EU ESTOU AQUI PRA DEFENDER MEU MUNICIPIO QUE EU ACREDITO !!!! Caro ROBERTO CABRINI vc foi infeliz ao seu Comentário, Lamento, faltou com a Verdade, fiquei tbm horrorizada com as imagens pois muitas não são verdadeiras…….
    ABRAÇOS….
    TAILÂNDIA TERRA DA LIBERDADE!!!
    POVO HUMILDE MAIS HONESTO..

  23. Thaís Carneiro Says:

    Cabrini, eu não assisiti a reportagem, mas estou indignada com as palavras q vC usou para falar do interior do Pará e de Tailândia, minha cidade, nasci aqui, tenho só 14 anos, e quero lhe dizer q quando vC voltar, se voltar, tente passar uma imagem menos deturpada, sensacionalista e demasiada q fizestes na sua última reportagem, quero dizer-lhe, pedir-lhe q se vier aqui novamente tenha a compadência de analisar os mais diversos lados da história, por exemplo, vC nem se interessou em saber q aqui há uma juvetude organizada q luta para melhorar a vida dos cidadadãos tailandenses.
    Não pensava q fosse vC mais um desses jornalistas sensacionalistas q só querem dar Ibope, às custas das mazelas alheias, aumentando-as em nível escandaloso.
    E lhe peço por favor q respeite o povo tailandense, pois aqui não somos “selvagens” como o senhor deixou quase explícito!

    RESPEITE O POVO PARAENSE!
    POR FAVOR, NÃO É PEDIR DEMAIS

    TEMOS CIVILIDADE SIM!

  24. Nina (não enfermeira) Says:

    Eu sou estudante do colégio Maranata em Tailândia,estou na sexta série,e não admito,que o Jornalista Roberto “Cabrito”,fale desse modo a respeito de Tailândia.Eu tenho certeza que o ”Cabrito” falou essas blasfêmeas sobre Tailândia por causa que no Pará não há tanta Cocaína como no Rio de Janeiro,por causa que o Pará como todos os estados tem defeitos,o Rio de Janeiro é um grande produtor de Cocaína (…).Como um Jornalista de uma carreira até agora ”boa” vai falar desse modo de um estado que faz parte do ”pulmão brasileiro”?Eu tenho vergonha dessa capacidade de constranger uma cidade mentindo desse jeito.E tenho orgulho de termos um deputado que faça a diferença,escrevendo no seu blog,todas as mentiras.Obrigada Deputado!

  25. SUZANE LAVAREDA DE OLIVEIRA Says:

    Indignação!Esse é meu sentimento, por ver tal reportagem que assusta e ao mesmo tempo revolta. Tenho certeza que você,repórter Cabrini,não conhece a verdade de um povo.
    Não vou dizer que o Brasil é um país perfeito,um pais de todos,é claro que as desigualdades existe,e não são poucas,não estou aqui para defender ninguém,só não aceito injustiças.E o que você mostrou, meu caro,NÃO É VERDADE!isso é uma afronta á NÓS,povo Tailandense que vem cada vez mais conquistando seu espaço,seja na agricultura,ou em outra atividade econômica que beneficia o município,como o laticínio que ajuda as famílias carentes.
    É revoltante a maneira que você mostra a cidade. de forma tão negativa,e posso dizer sem medo que precariedade existe sim,em qualquer lugar.Mas ,você falar que crianças são trocados por telhas.isso é inaceitável e revoltante,minha familia mora em Tailândia,me considero tailandense desde que nasci.Digo mais,você foi totalmente infeliz ao dizer tais absurdos na televisão em relação ao nascimentos dos pequinhos tailandeses.
    Espero que isso não aconteça mais, pois não merecemos tais injustiças.

  26. diego Says:

    A população mundial sempre está em busca de inovação, e dentre estas inovações surgiu os meios de comunicações, como tudo que tem vantagens também vai ter suas desvantagens. Em casas nas singelas sempre tem uma tv ,e outras pessoas que não vivem sem internet,sobrevivem da mesma,e que hoje tem papel fundamental,seja ela pra pesquisa,entretenimento,bate papo ou mesmo para esclarecer inverdades do tipo que foi repassada na reportagem do CABRINI,repórter respeitado ,mas que errou,em querer repassar uma imagem mentirosa de Tailândia e do estado do Pará. Tailândia no seu auge de desenvolvimento, tenho certeza que não vai deixará abater por falsas injurias, seu povo tem consciência do trabalho que esta sendo feito no município, trabalho este que está trazendo grandes benefícios para o município.
    Eu não sou funcionário publico, não sou parente de prefeito, não tenho nenhum vinculo com deputado, porém o admiro pelo trabalho que tem feito do município,que não vem de agora. E assim como disse a pessoa que não quis se identificar, não sei por qual motivo já que não mora mais no município,eu não sou “puxa saco”,apenas busco estar do lado da verdade .

  27. ROBERTO CARLOS GAMBIN Says:

    Qual será o preço que pagaremos pela fama de determinadas pessoas? O que as pessoas são ou serão capazes de fazer para serem famosas? O que será a mídia capaz de fazer para atingir audiência? Hoje infelizmente nos vemos reféns desta poderosa arma de influência, vemos a cada dia que passa os meios de comunicação brigarem entre si para atingirem pontos a mais que os outros no Ibope em determinados horários, utilizando-se de subterfúgios como o sensacionalismo para sensibilizarem o telespectador a ligar o seu televisor em determinado horário para assistir determinado programa, para assim poderem dizer: Atingimos o maior índice de audiência neste horário.
    Bem, escrevo isto em tom de desabafo, sou cidadão Tailandense e fiquei estarrecido com a forma que utilizou-se o Ilustre repórter ROBERTO CABRINI, para definir o nosso Município, senão vejamos a sua definição:” Estamos no interior do Pará, é um Brasil onde os conflitos são constantementes resolvidos a bala, onde o homem não aprendeu a ganhar a vida sem assassinar a natureza, onde a lei do mais forte costuma suplantar a lei dos tribunais”. Ora, gostaria de perguntar a este repórter se em algum momento em que esteve na nossa cidade o poder público o tratou mal? Se quando ele teve um mal súbito deixou de receber atendimento médico digno? Se em algum momento alguém o impediu de filmar o parto de um bebê no hospital Municipal? Se em algum momento o poder público Municipal o impediu de fazer o seu trabalho? Pois bem, é por isso que me decepciono a cada dia que passa, pois sempre pensei que a imprensa tivesse o compromisso com a verdade, que fosse mostrar os fatos como realmente eles acontecem. Só pensei…… porque na reportagem sobre o tráfico de crianças, o que vimos foi uma série de montagens de edições muito bem feitas. Porque se o compromisso da imprensa é com a verdade, não mostraram a gravação que fizeram com o Ministério Púlibo? Porque não mostraram a gravação feita com o advogado que explicou como fez adoções legais? Tudo isto nós sabemos que aconteceu e a reportagem não mostrou.
    Gostaria também de comentar os declarações irônicas do Sr. ROBERTO MUNHOZ, e aproveitar e perguntar a ele se ele conhece a história de Tailândia? Se ele sabe da explosão demográfica que teve este Município entre o período de 2001 com uma população de 21.000 Hab. para 72.720 em 2008? Se ele, como vive em um grande centro, não sabe que quando ocorre isto há um crescimento desordenado com graves problemas sociais que não são resolvidos num piscar de olhos e nem da noite para o dia? Se ele não sabe que esta administração só tem 14 meses de mandato? Queremos dizer a este cidadão que primeiro procure conhecer Tailândia para depois tecer comentários a respeito, queremos dizer que a administração Municipal está sim procurando alternativas para resolver os problemas de sua população, basta buscar informações (verídicas é claro) e que não faltou luz no dia da reportagem, pois nós não usamos de subterfúgios para ludribriar a população, aqui nós exercemos a verdadeira democracia, preservamos o direito de ir e vir do cidadão, preservamos o direito da livre expressão, nós temos compromisso com a verdade.
    Tanto é que menos de 10 horas depois da reportagem a administração municipal tomou as devidas providências lavrou um boletim de ocorrência na DP local, afastou a servidora denunciada pela reportagem, e abriu inquérito administrativo para apurar os fatos.
    Dizer que não nos deixamos levar pela emoção, por isso agimos com a razão, e que pessoas de má índole existem em todos os lugares.
    OBRIGADO DEPUTADO NILSON PINTO, pela defesa que fizeste de nosso Município, e que se a fizeste, foi porque o senhor conhece a realidade desta terra e de sua gente, foi porque sabes que não são medidos esforços para solucionar os problemas que afligem a população.
    TAILÂNDIA – TERRA DA LIBERDADE – MINHA TERRA, MEU LUGAR.

  28. José Brito Says:

    “Recursos de provocar drama”, “Sensacionalismo”, “Pessoal que vem do Sul”, “Audiência”, “Fama”, “Imagem mentirosa”… Releiam o que vocês escreveram em seus comentários. Não dá para acreditar que assistimos ao mesmo programa. Sou produtor do ‘Conexão Repórter’ e como paraense que mora em SP há pouco tempo, vejo tudo isso como muita tristeza.

    Saibam vocês que me orgulho da minha origem e defendo a cultura da minha terra com unhas e dentes. Percorri esse Pará de ponta a ponta e acreditem quando digo que presenciei as diferentes realidades desse Estado tão rico, mas ao mesmo tempo tão mal administrado.

    Quero ver quem terá coragem de falar que em Itaituba não há problemas com pistas de pouso clandestinas ou contaminação por mercúrio, ou que em Tailândia ou Altamira não há pistolagem, ou que no Marajó não há prostituição infantil?!

    Ao pensar que vi o ‘Conexão Repórter’, como forma de divulgar em rede nacional as mazelas que afundam o nosso Estado, onde as autoridades fecham os olhos para tudo isso que listei acima, me deparo com conterrâneos atacando um jornalismo ético, como se, o que foi mostrado ali não existisse ou não fizesse parte do dia-a-dia de vocês.

    Vocês estão cansados de ver o Pará sendo mostrado em jornais e telejornais de forma pejorativa? Eu também estou! A diferença é o que nos fazemos para mudar isso. Eu escolhi denunciar e esperar para que as autoridades responsáveis fiquem sem alternativa e finalemente tomem as devidas providências.

    Querem que sejam pautados outros Estados? Então peguem relatórios da CPT e me digam qual Estado lidera no país por confiltos agrários ou trabalho análogo à escravidão?

    Enfim, espero que agora vocês parem e reflitam um pouco sobre se houve, de fato, uma “imagem deturpada” de Tailândia. Porque vocês podem ficar tranquilos que há no programa um representante amazônida que não deixará nenhuma injustiça ser cometida contra o nosso povo já sofrido o suficiente.

    Agradeço ao Deputado Nilson a oportunidade para o diálogo aberto e para que sejam explicadas as reais intenções do programa: a busca pela verdade por meio de grandes reportagens.

    Abs,
    Brito.

  29. Altimá Alves Says:

    senhor Brito, ninguem aqui ta negando os problemas que existem em Tailandia e no Pará, assim como no Rio ou São Paulo, mas não vejo nenhum programa se referindo a eles dessa forma, nem nenhum profissional de imprensa se referindo as autoridadades locais de forma desrespeitosa ou irônica. desculpe mas o que foi mostrado no programa nao condiz com a realidade, desafio o senhor a assitir todas as entrevistas que foram gravadas em Tailândia e convencer o seu chefe a pô-las todas no ar a íntegra!
    te convido a vir a Tailândia, conhecer de verdade a historia do municipio e seu povo! bem tratado você será com certeza, assim como o senhor Roberto Cabrini e sua equipe o foram. Será que o Pará só tem mazelas pra serem mostradas, por que quando vcs fazem algum programa nos estados do SUL/SUDESTE não fazem referências da forma que fazem quando mostram o Pará? só no centro sul tem gente civilizada? só por lá tem lei? quanto a ler relatórios temos que ter sobriedade para entender que todos a entidades e instuições te seus interresses a a defender; que conflitos agrários existem aqui e no Pontal do Paranapanema em São Paulo, que o aumento deles e reflexo inclusive da ausencia da garantia do direito a propriedade que existe nesse governo, sobre o qual aliás todos os grandes meios de comunicação sao silentes em relação aos ataques a Democracia e a liberdade de imprensa.
    amigo, nao é falando mal e tratando dessa forma que demonstramos orgulho da nossa terra e de nossa gente reflita sobre isso tambem!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: