O bom exemplo que vem da Câmara

Um bom exemplo que vem da Câmara dos Deputados e merece ser replicado é o do Núcleo de Gestão Ambiental – o EcoCâmara. Criado em 2003, é responsável por ações sustentáveis que incluem a participação ativa dos servidores na separação do lixo, redução do consumo de água e de energia, além de iniciativas ambientalmente corretas, como o uso de canecas em lugar de copos plásticos. A iniciativa deu tão certo que até o Ibama, no dia 17 de setembro do ano passado, enviou funcionários para conhecer o projeto que beneficia 150 famílias associadas a uma cooperativa de catadores de resíduos.

Portanto, fica a sugestão: replique essa ideia na empresa ou instituição pública que você trabalha.

Esta semana, o programa Cidades e Soluções, da Globonews, mostrou as ótimas iniciativas do EcoCâmara. Merecido. Veja dez ações que mostram porque o EcoCâmara merece ser divulgado:

1. Ecolavagem – A Câmara será um dos primeiros órgãos públicos a se adequarem à nova legislação que proíbe o uso de água para lavagem de veículos em estacionamentos públicos do DF.  Todos os 70 veículos que compõem a frota oficial da Câmara passarão a ser limpos por meio da ecolavagem – método que utiliza uma série de produtos especiais em substituição à água e ao sabão. Para que o processo seja implantado, a Câmara já solicitou a compra dos primeiros kits com os produtos utilizados na lavagem. O processo foi testado por um mês na garagem da Câmara e aprovado.

2. Curso de Educação Ambiental: será oferecido a todos os que trabalham na Casa, com o objetivo de conscientizá-los sobre o meio ambiente e capacitar o secretariado parlamentar para auxiliar os deputados nas discussões de temas ambientais.

3. Oficina de Pintura de Canecas: tem como objetivo promover a reflexão sobre o uso excessivo do plástico em nossa sociedade e seus impactos no meio ambiente, dando ao servidor a oportunidade de levar para o trabalho uma caneca pintada por ele próprio, para substituir o uso dos copos plásticos.

4. Garrafas PET – A Câmara vai trocar as garrafas de água em PET por água filtrada servida em jarros, brevemente.

5. Escritório Verde – Dentro da sala do EcoCâmara é reservado um espaço para expor produtos desenvolvidos por diversas empresas que respeitam pré-requisitos ecológicos, considerados importantes na avaliação do ciclo produtivo.

6. Sacos de café são reutilizados no viveiro de plantas da Câmara. A borra do café é usada para fertilizar os jardins, gerando economia de mais de R$ 2 milhões anuais para os cofres públicos.

7. Jardins – A água dos desumidificadores é usada para irrigar os jardins da Câmara.

8. O projeto “Luz e Vida – a Iluminação como Fonte de Prazer” recebeu o prêmio “Uso sustentável dos Recursos Naturais”, concedido pelo Ministério do Meio Ambiente como parte do programa Agenda Ambiental na Administração Pública – A3P. O projeto que prevê uso racional de energia com foco na preservação ambiental e na qualidade de vida do servidorjá rendeu à Câmara uma economia de R$ 3,9 milhões.

9. Coleta seletiva de resíduos: os prédios administrativos da Câmara produziram, em 2009, a média de 112,2 toneladas de lixo por mês, dos quais 53,11% foram doados à Cooperativa de Reciclagem, Trabalho e Produção (Cortrap). O edifício Anexo IV (onde funciona o meu gabinete!) foi os que, de acordo com os resultados do monitoramento qualitativo, realizou a  melhor segregação dos resíduos. Nos restaurantes da Câmara, foram gerados, em 2009, 28,9 toneladas de resíduos por mês, dos quais cerca de 80% eram material orgânico. No ano passado, os resíduos doados pela Casa à Cortrap representaram 80% da receita da cooperativa.

10. Reaproveitamento de material. Os 513 gabinetes parlamentares recebem revistas, livros e material de expediente com pequenos defeitos (pastas,  envelopes e blocos de papel). Ao longo do ano, este material costuma ser descartado. Agora nada mais vai para o lixo desse material que está em ótimo estado de conservação e possui grande valor informativo. Revistas científicas e livros sobre economia, meio ambiente, educação e política compõem o acervo coletado, que a EcoCâmara passa por uma triagem que separa as publicações para serem encaminhadas ao Centro de Documentação e Informação (Cedi). Os jornais, impressos publicitários e administrativos são enviados para a reciclagem. Já as pastas e envelopes são redistribuídas na própria Casa ou doadas a instituições beneficentes. O Cedi destina os livros e revistas científicas às bibliotecas, museus  e escolas públicas espalhadas por todo o país. A lista de intercâmbio reúne hoje 367 instituições públicas.

Para entrar em contato com a coordenação do EcoCâmara, você pode conhecer o Escritório Verde, localizado no térreo do Anexo IV. Os telefones disponíveis são (61) 3216 – 2169 e 3216-2171. Mensagens eletrônicas devem ser enviadas para ecocamara@camara.gov.br.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: