Seduc e Sead esclarecem gestores sobre PCCR

A partir do próximo dia 13, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) começa a recadastrar os quase 42 mil servidores do órgão e, com isso, pretende atualizar dados inalterados há dez anos. Essa é uma das etapas mais importantes da implantação do Plano de Cargos e Carreiras e Remuneração (PCCR), previsto para entrar em vigor até outubro.

Esse foi o tema da reunião técnico-administrativa ocorrida na manhã desta quinta-feira, 2, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, que contou com aproximadamente 600 diretores, vice-diretores, gestores escolares, professores e técnicos da Seduc, recebidos por representantes do Governo do Estado, entre eles Nilson Pinto, secretário de Educação, e Alice Viana, secretária de Administração. Da Seduc, estiveram presentes, ainda, Cláudio Ribeiro, secretário-adjunto de Ensino; José Croelhas, secretário-adjunto de Logística; Altimá Alves, assessor político e Rosângela Barbosa, diretora da escola Santo Afonso.

Os profissionais em educação que atuam na Região Metropolitana de Belém tiveram a oportunidade de tirar dúvidas sobre PCCR. Durante quase quarenta minutos, o secretário Nilson Pinto explicou o processo de implantação do Plano e o enquadramento a que serão submetidos os profissionais, além de outros detalhes do processo discutido com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp).

“Essa reunião é para dizer que vamos começar a fazer o enquadramento. Nossa decisão é pra valer. Começaremos agora a atualização cadastral e vamos explicar pra vocês todos os passos do PCCR”, afirmou o secretário. Alice Viana, por sua vez, destacou a política de valorização e reconhecimento do funcionalismo e os cuidados do Governo Simão Jatene no tratamento dos benefícios dos profissionais em educação da rede estadual, que representam 40% dos funcionalismo público do estado.

A secretária também mencionou o cenário encontrado pela atual administração estadual e as dívidas, além de seis mil processos paralisados. “Esse é um momento de estreitarmos relações, para não ficarmos como naquela brincadeira de “telefone-sem-fio. A hora de esclarecer as dúvidas é agora”, destacou a secretária.

Segundo Alice, o Governo do Estado identificou os processos parados e as dívidas acumuladas nos últimos anos, mas desde o início do ano vem reiterando que vai honrá-las na medida em que cresçam os investimentos, priorizando as vantagens. “Não deixaremos acumular os retroativos. Dos R$ 52 milhões em dívidas que encontramos, ainda devemos R$ 44 milhões”, disse a titular da Sead. A expectativa é que o governo zere o passivo com os servidores da educação até junho de 2012, a partir da recuperação econômica do Estado.

Recadastramento – Ao final dos pronunciamentos, Ruth Pina, secretária-adjunta da Sead, apresentou o sistema de recadastramento que será utilizado a partir do dia 13 e que poderá ser acessado por intermédio do Portal do Servidor (ww.portaldoservidor.pa.gov.br). No interior, por conta do serviço de internet e das grandes distâncias, a Secretaria utilizará a infraestrutura das escolas-sede e disponibilizará o serviço de recadastramento para os servidores vinculados às 19 Unidades Regionais de Ensino.

De 6 a 9 de junho a Seduc estará promovendo, na Escola Estadual Visconde de Souza Franco, o Seminário de Gestão. Será mais um momento para estreitar o diálogo entre a gestão estadual e os diretores das escolas. A Seduc deve iniciar, ainda este mês, as reuniões com as direções da UREs em todo o Pará.

Fonte: Sérgio Chene – Ascom/Seduc

Anúncios

2 Respostas to “Seduc e Sead esclarecem gestores sobre PCCR”

  1. Óberti Mesquita Says:

    A gestão anterior de Jatene também deixou muitas dívidas ao governo Ana Julia, e não foram poucas. Falar que Jatene tem a preocupação de valorizar o trabalhador da educação é até heresia, pois foi ele um dos governadores que menos nos valorizou. Só pra lembar, podemos citar os cortes ocorridos no Some, em 2003, quando o Dr. Jatene quase estingue o projeto.O PCCR só está sendo “implantado” por conta da pressão dos educadores, não por vontade do governador, que vem promovendo cortes no mesmo. Só mais uma prova do descompromisso do atual governo com a educação: nosso piso foi aprovado pelo supremo, mas o governo do Pará o ignora sem nenhuma cerimonia.

  2. antonio Says:

    Enquanto houverem conselheiros como o vice-presidente do tce, luís cunha, com nepotismo cara de pau, tem os irmãos antonio da cunha teixeira e paulo cunha teixeira nomeados nos cargos de vice-diretor e chefe de segurança no presidio de Bragança, as instituições estão desacreditadas pela população. Que decepção.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: