Medicina em Altamira

medicinaA Universidade Federal do Pará (UFPa) já decidiu implantar o curso de Medicina no município de Altamira, a partir de 2015. Isso tem um significado enorme porque vai contribuir para resolver o problema da carência de profissionais de saúde na região.

Este será o terceiro curso de Medicina a funcionar no interior do Estado. Já existe um curso mantido pela Universidade do Estado do Pará (UEPA) em Santarém, que formou sua primeira turma no ano passado. A mesma UEPA acaba de abrir um novo curso de Medicina em Marabá, onde aliás o governador esteve nesta segunda feira ministrando a aula inaugural.

Ou seja, temos dois cursos de Medicina implantados no interior do Estado e agora, com a decisão da UFPa, serão três que se somarão aos que existem em Belém (um na federal, um na UEPA e um no Cesupa).

Acredito que este é o caminho definitivo para resolver em médio prazo o problema da carência de profissionais de saúde no interior do Pará. Tradicionalmente, um profissional que se formou em determinado local está mais inclinado a permanecer ali. É bem mais fácil que esse profissional fique na cidade em que estudou do que alguém que se formou em uma região distante e não conhece a realidade local.

Creio que para completar o quadro mínimo de cursos necessários a formação de médicos no Pará faltaria, ainda, abrir um curso de Medicina no sul do Pará e outro no Marajó. Existem hospitais regionais de média e alta complexidade em Redenção e Breves, que reúnem todas as condições para servirem como hospitais universitários, a exemplo do que acontece em Santarém e deverá acontecer em Marabá e Altamira.

À Universidade Federal do Pará caberia implantar o curso em Breves, onde já possui um campus. Em Redenção, a responsabilidade poderia ser atribuída à Universidade do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), que está iniciando suas atividades.

Podemos aproveitar a implantação do Programa Mais Médicos para tentar viabilizar o apoio do governo federal para essas novas iniciativas.

Essa é uma causa que deveria unificar o esforço da bancada federal do Pará.

A Comissão Especial que vai analisar a MP do Mais Médicos – da qual faço parte – está iniciando seus trabalhos. É um bom momento para lutar por essas causas.

Anúncios

Tags: , , , ,

2 Respostas to “Medicina em Altamira”

  1. iany santos rocha Says:

    quando será as inscrições para o vestibular de medicina em altamira ?

  2. Hilton Silva Says:

    Caro Nilson, a criação de novos cursos de medicina não depende de hospitais. Na Amazônia, depende sobretudo de professores. Uma faculdade de medicina não pode ser meramente reprodutora de técnicos de nível superior. Precisa ser capaz de realizar ensino de alto nível, pesquisa e extensão. Precisa de Doutores que possam produzir inovação e qualificar os egressos para analisar criticamente sua realidade. Precisa de tutores, competentes e comprometidos com o ensino, conhecedores do SUS e da Atenção Básica, onde se realiza o ensino médico hoje, não mais centrado em hospitais. Infelizmente, estes profissionais não estão disponíveis atualmente, como tem sido comprovado nos recentes concursos da UFPA.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: